Páginas

Olhares

Num dia comum eu encontrei o seu olhar.

E nesse mesmo um dia, um garoto numa rua movimentada a espera do sinal fechar encontrou uma garota, mas ainda não havia encontrado o seu olhar. Logo após cinco segundos o olhar dela encontrou o dele, mas logo correu, pois o sinal havia aberto.

E há uns dez quilômetros dalí, um olhar maldoso encontra sua vítima, inocente ela, mal sabia que havia se encantado com o olhar de seu violentador.

Pouco mais ou pouco menos de cinco minutos daqueles dez quilômetros, uma mulher com um olhar decepcionado encontra o olhar envergonhado de seu futuro ex marido ao lado de sua provável amante.

Segundos mais tarde o olhar confiante e humilde penetrava o olhar cauteloso e apaziguador de seu futuro chefe.

E naqueles mesmos segundos na rua de trás o primeiro olhar de um ser que milagrosamente nasceu, encontra o olhar amoroso e entornado de lágrimas de sua genitora.

Porém em instantes atrás, o olhar de uma pessoa desiludida com uma vida trivial, se delicia com o olhar do suicídio. Essa pessoa não acreditava mais nas melodias de belas frases como Deixo o sol bater na cara, esqueço tudo o que me faz mal, deixo o sol bater no rosto que aí o desgosto se vai*, ou conselhos perfeitos e que nas pessoas 'comuns' sempre funcionam dos livros do Augusto Cury**, tudo não bastava de vã ilusão insipiente humana. Assim acreditava.

Mais um pouco longe dalí, mas não muito, um olhar sem encontrar outro olhar, um olhar mergulhado na solidão, vagando fantasmagoricamente a procura de um outro olhar, que assim como o seu, precisava de um pouco de cor e alegria.

E antes de todos esses olhares, nesse dia comum encontrei o seu olhar. Voltamos à primeira linha.
Pois bem, encontrei o seu olhar, numa roda de amigos. Eu era a assassina e você o detetive que numa tentativa frustrada de te assassinar, você gritou "você está presa em nome da lei", e, você e todos os outros alegremente, nos divertíamos sem saber o que acontecia com o resto do mundo.

***

* Música: Girassóis - Pouca Vogal , que particularmente é a minha preferida.
** Nada contra aos livros do Augusto Cury, são ótimos principalmente "Nunca desista de seus Sonhos", leiam é bom!

39 comentários:

Rasta disse...

Minha mãe estava comentando de Augusto Cury hoje e agente debatendo sobre ele ser escritor de auto-ajuda ou não. Descobri que minha opinião estava sem fundamento afinal só tinha lido um livro dele. E minha mãe chegou contando um pouco da historia dele e sobre os outros livros. Fiquei interessado apesar de não admitir pra minha mãe, vou ver se acho este que você indicou. Os olhos são os porta-vozes da alma, amo olhar as pessoas nos olhos. Talvez seja o meu primeiro tipo de julgamento subconsciente.
Postei meu primeiro conto dá uma olhada Ná.
E eu continuo com saudade e continuo querendo ver coco antes de chanel talvez um dia agente consegue.
Sinto tanta falta daqueles tempos que tirava um tempinho pra ler os blogs e sempre fica me deliciando lendo seus textos, comentando e babando com alguém falando o quanto você escreve bem.
SOU UM LEITOR EXIGENTE, quero mais textos. Quem mandou despertar o interesse? :D

Desirée disse...

nooooossa, agora eu bolei.

mas o pior é que é verdade, não sabemos o que acontece lá fora!

bjos flor :)

A Magia da Noite disse...

no reflexo dos olhos está a realidade da alma, o perfume da essência que nos abarca.

Bahh Grou. disse...

Eu sempre gostei dessa brincadeira de polícia, ladrão e vítima. E os olhares...
Lindo texto!
Beijo.

Fernαndα disse...

éé. as janelas da alma falam alto, em bom tom.
:)

Tiêgo disse...

Ai, como eu amei esse texto! Nossa, que linda essa sua visão para um simples olhar! Adorei!

Beijos ;*

Vitória Kubitz disse...

Me encantei com esse texto,diversas visões sobre o olhar.
Gostei muito do texto e daqui,voltarei muitas vezes mais.
;**

anaa ' disse...

oi, adorei o blog, o post também, um olhar as vezes diz tudo, lindo *-*
beeijo

Rafaela Cabral . disse...

nossa seus textos são maravilhosos , adorei aqui , vou voltar sempre ! estou seguindo :*

Erica Ferro disse...

Olhares perdidos, olhares achados, olhares que se acham, olhares que procuram...
Olhares. Pessoas.

Gostei, cara. Fiquei refletindo.

Que bom que você gostou das minhas palavras. Também gostei do seu canto, de verdade.

Um abraço.

* Mari Sottomaior disse...

Me sinto um pouco desacreditada também ;/

Bruna Bianconi disse...

Que texto maravilhoso, imaginando aqui...
Augusto Cury, tenho uns livros dele, nunca li algum, mas acho que tenho o que você citou, vou ler já que indicou.

Beijos

juu . disse...

aii legal! *-*
e os livros do augusto são perfeitos! :]

Regina disse...

Adoro Pouca Vogal. Meu blog vem de uma música do Duca Leindecker. Só me orgulho em ser gaúcha quando vejo admiração de outras pessoas pela música do meu estado.
Perdão não li o texto, confesso. Mas as coisas estão apertadas por aqui (escola, amigos problemáticos.. enfim). Volto com mais tempo, prometo.

Luiza disse...

"Seu olhar me acompanha
Do outro lado da rua"
O final me surpreendeu demais, me fez pensar em milhares de caminhos que poderiam seguir e quem sabe se encontrar. Adoro texto que levam a outros textos, textos de minha mente.

Wilian Bincoleto Wenzel disse...

Olhares, que falam, entregam, supõem, demonstram, olhares.

Eu imaginei esse texto como roteiro de uma cena de filme. Tudo muito rápido, e mágico. Cena que levaria várias pessoas à uma profunda reflexão. Passamos na rua e olhamos somos olhados, olhamo-nos. E não sabemos a realidade que cada um vive. É aí que mora a intensidade de cada momento.

Gostei bastante daqui também, Srta. Intensa. Rs' Voltarei sempre que possível! ( ;

Rodolpho Padovani disse...

Olhares estão por todos os lados, vivemos rodeados deles, seu texto me levou para vários lugares em muito pouco tempo, adoro textos assim.
Obrigado pela visita no meu blog, apareça sempre q sentir vontade.
Vou te seguir e volto mais vezes.
Bjs e um bom fds pra ti. =D

Ítala disse...

nossa, perfeito!
tenho outra pra vc:
"Numa noite fria, desiludida e sozinha pequena Ítala olha desatenta para os lados, sem nada notar, até que um moço bonito senta ao seu lado e conversam pela noite toda.
Ela não sabia, mas ali era o seu verdadeiro amor, daqueles em que cada beijo é especial e que cada abraço é mais forte que o outro.
E em uma despedida, eles se olharam pedindo em pensamento um beijo.

foi num olhar timido que esse beijo surgiu."

___________________
Esse ai até vale uma postagem...

Obrigada por passar no blog Ítala, volte mesmo mais vezes ^^

gostei daqui, tem ares bons...

BjOs
bom fim de semana.

Késia Maximiano disse...

Há olhares q gritam não é? :)
Beeeijos

Ana Carolina disse...

obrigada querida,também ja estou seguindo

beiijo

C. disse...

Muiiito interessante o texto. Nossa... Muito mesmo! Retratou direitinho o que vivenciamos todo dia: Nos vemos ligados apenas a nossa rotina e sequer imaginamos o que há além de nós!
Amei, amei!

FatoSempalavras. disse...

Os olhares nos mostram todos os caminhos. não nos deixam sozinhos e nos fazem,por algumas vezes, sentirmos aqueles arrepios.

Sublime.

Buba. disse...

Sério, que lindo, lindo mesmo. Li o texto umas duas vezes, ou três. Me encantou muito!

Myrella Andrade disse...

Bom de verdade.Muito!
beijos

Maldito disse...

Tive que passar meus olhos umas três vezes pelo texto para conseguir absorver tudo,..Não conheço Augusto Cury,..mas tenha certeza que vou começar a pesquisar sobre a partir de agora,..
Inté!

Veronica Rodrigues disse...

obrigado pela visita volte sempre.
um beijo e otimo final de semana pra ti.

jefhcardoso disse...

Olá Ná! Venho lhe agradecer por seu apoio e atenção. Estive viajando nos últimos dias e assim me vi impossibilitado de trabalhar no blog. Estou preparando uma nova postagem, mas antes quero deixar um grande abraço e meus sinceros votos de sucesso para você.

Antes que tudo se cale; fale
Antes que tudo adormeça; vibre
Antes que tudo se apague; escreva
Antes que tudo se transforme; sinta
Antes que tudo acabe; viva

Por Jefhcardoso

Amanda disse...

Que lindo seu texto, ja gamey aqui !
vou te seguir amore !
Escreves muito bem

Taw disse...

Os olhares têm linguagem própria...

xD

James Pimentel disse...

Adoro livros do A.C.
Enfim, eu gostei da intensão do seu texto, mas devo comentar que faltou a presença de algumas virgulas e que a repetição da palavra "olhar" deixou o texto com uma pequena dificuldade de leitura!

Parabéns, beijos (:

Daniela Filipini disse...

A graça está em esquecer, perder-se no infinito. Lindo!

jefhcardoso disse...

Ná Lima, obrigado por seu generoso comentário!
Grande abraço e obrigado por seu apoio.
Conto com você.

Jefhcardoso

Olga disse...

adorei o texto.
e a imagem do título do seu blog é muito linda e psicodélica. eu amei.

Larissa disse...

Incrível como às vezes não fazemos ideia d que acontece ao redor do mundo, ou não muito distante de nós mesmos. Mas acontece MUITA coisa. Acho isso engraçado, esse nosso estado de pequenas ilhas que vez em quando se comunicam e se esbarram. Gosto de imaginar a vida das pessoas que avisto ao acaso pelas ruas, é sempre interessante supor. Mesmo que na maioria das ocasiões, eu nem desconfie do que são/fazem de verdade.

Também já li Augusto Cury em 'Filhos brilhantes, alunos fascinantes.'

Meu beijo!

Duanny!. disse...

ADOREI!

muuuito legal.

voicÊ escreve muuito bem.

Júlio Castellain disse...

...
Quem legal.
Abraço.
...

Rafael disse...

Tudo acontecendo ao mesmo tempo, muito bom...
bjs

Varda disse...

Olhar é sempre o primeiro passo

Larissa disse...

Incrível é a simplicidade dos fatos se tornando tão intensos. Quem diria que um simples olhar fosse te "domar" assim... Ah, olhares!

Beijos.